PT aposta no Superior Tribunal de Justiça para salvar Lula

A estratégia da defesa do PT é concentrar esforços no recurso apresentado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para tentar anular a condenação que foi imposta ao ex-presidente Lula pelo Tribunal Regional Federal de Porto Alegre, onde recebeu a sentença de 12 anos e um mês de prisão.

Se obtiver sucesso, ele teria a solução de seus grandes problemas: escaparia da prisão e, ainda, deixaria de estar inscrito na Lei da Ficha Limpa, podendo, portanto, registrar sua candidatura à presidência da República. Vale lembrar que, em recente balanço de suas atividades, o STJ mostrou que em apenas 1% dos casos não houve lá a confirmação da decisão da segunda instância.

Na avaliação de petistas, é no STJ que Lula tem mais chances de obter uma vitória jurídica nesta sua cruzada em que tenta evitar a condenação e de ser preso. Nesta corte, os ministros não são tão conhecidos como os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e, com número maior de ministros, a reação ficaria “diluída” entre todos, conforme avaliação de um importante petista.

Com este objetivo, os petistas mudaram completamente o discurso. Se no início do processo o tom era o questionar o Judiciário, principalmente o juiz Sérgio Moro e o próprio TRF-4, agora a recomendação é não atacar o Judiciário, para não produzir reação interna. Nas últimas semanas, os petistas baixaram o tom das críticas, com exceção de Lindberg Faria. Segundo petistas, Lindberg tem um tom acima porque no Rio seu adversário direto é o PSOL, que terá Chico Alencar como candidato ao Senado.

Independentemente do resultado desta estratégia jurídica, Lula pretende formar sua chapa para disputar a eleição deste ano com nome tirado do bolso do colete: o mais forte neste momento é o do empresário Josué Alencar (MG) , reproduzindo, assim, o perfil da chapa vitoriosa de 2002 e 2006, quando José Alencar, pai de Josué, foi o seu vice.

Antes, porém, Josué terá de buscar uma legenda. Ele é hoje filiado ao MDB, partido que é dominado pelo grupo do presidente Michel Temer, que, nos últimos dias, tornou público seu desejo de disputar a presidência da República. Josué disputou uma vaga para o Senado em 2014 e perdeu para Antonio Anastasia.

A estratégia de Lula é pedir o registro de sua candidatura nos últimos dias do prazo legal e participar pelo menos dos primeiros dias de propaganda eleitoral. Se for afastado, ele seria substituído por outro candidato, mantendo o vice.

Fonte : G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *