‘Nós cometemos erros’, diz Mark Zuckerberg sobre escândalo do Facebook com Cambridge Analytica

Fundador do Facebook anunciou também mudanças para reforçar a segurança de dados no aplicativo, como a auditoria de apps.

CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, foi chamado a prestar esclarecimentos no Congresso americano.

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, pediu desculpas sobre caso envolvendo vazamento de dados com a consultoria Cambridge Analytica (leia nota na íntegra em inglês e sua tradução ao fim desta reportagem).

“Nós cometemos erros, temos que fazer mais e precisamos avançar e fazer isso”, afirmou.

As declarações foram dados em um post no perfil de Zuckerberg na rede social, na primeira vez que falou sobre a crise institucional que fez o Facebook perder quase US$ 50 bilhões em valor de mercado em dois dias.

Neste domingo (18), o Facebook informou que está investigando o vazamento de dados provocado por uma empresa britânica que trabalhou para a campanha de 2016 do presidente americano, Donald Trump. A empresa de consultoria Cambridge Analytica manipulou informação de mais de 50 milhões de usuários da rede social nos Estados Unidos.

A companhia obteve as informações em 2014 e as usou para construir uma aplicação destinada a prever as decisões dos eleitores e influenciar sobre elas, segundo revelaram neste sábado os jornais “London Observer” e “New York Times”.

Zuckerberg também disse que a companhia modificou sua política de distribuição de dados para aplicativos parceiros em 2014 e que esse problema não deverá se repetir atualmente. Mesmo assim, ele afirmou que a companhia vai aprimorar suas ferramentas de segurança e auditar os aplicativos parceiros.

“Embora essa questão específica envolvendo o Cambridge Analytica não deva mais acontecer com novos aplicativos hoje, isso não muda o que aconteceu no passado. Vamos aprender com essa experiência para proteger ainda mais nossa plataforma e tornar nossa comunidade mais segura”, afirmou Zuckerberg.

“Esta foi uma quebra de confiança entre Kogan, Cambridge Analytica e Facebook. Mas também foi uma quebra de confiança entre o Facebook e as pessoas que compartilham seus dados conosco e esperam que o protejamos. Precisamos consertar isso”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *